Páginas

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Neofascismo: Mantega é expulso do Hospital Albert Einstein (que é parasita da renúncia fiscal)

via Brasil 247

 
O ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi expulso do hospital Albert Einstein, no último dia 19. Ele estava acompanhado da esposa Eliane Berger, que se trata de um câncer.
 
Aos gritos de 'vai pro SUS' e sob insultos, ele decidiu se retirar do local.

A intolerância política no Brasil atinge níveis inaceitáveis de incivilidade, que prenunciam um neofascismo no País. Agressões têm sido promovidas por forças políticas que se mostram incapazes de conviver numa democracia.

Assista o vídeo, que sugere que profissionais da medicina também participaram das agressões:


Em nota, o Hospital Albert Einstein prestou o seguinte esclarecimento:
O Hospital Israelita Albert Einstein informa que o ex-Ministro Guido Mantega esteve nessa Instituição no dia de ontem como visitante. Como Instituição, o Hospital recebe igualmente a todos, pacientes ou não, rechaça qualquer atitude de intolerância e lamenta o fato ocorrido em seu ambiente.

No entanto, não informou se médicos ou enfermeiros participararam das agressões ao ex-ministro.

Comentário: O Hospital  Albert Einstein é um centro de excelência reconhecido mundialmente.

Isto não serve como redenção para eventuais pecados... 

Por exemplo: o de ostentar o título de "hospital filantrópico" no qual o usuário do SUS não passa sequer na frente da porta. 

Uma "filantropia" para ricos.

As leis que disciplinam a concessão do título de filantropia foram devidamente lapidadas para que pudessem servir a "Einsteins", "Sírios", "Santas Casas" (não tão santas) e similares.

Quem sabe agora, depois desta demonstração de "solidariedade" e "respeito ao próximo" às avessas, a comunidade que gravita (e ganha sua vida) em torno do Einstein resolve tirar a máscara e partir para abrir mão da renúncia fiscal e das isenções de recolhimentos previdenciários que tem financiado suas SUV's, suas residências nos Jardins e Alphavilles da vida e seus apartamentos em Miami. 

Todas as "boutiques" (clínicas e hospitais) que existem neste país e que faturam milhões às custas da venda de serviços de saúde, sobrevivem às custas da renúncia fiscal... enquanto seus proprietários falam mal do SUS quando se reúnem na sauna do Country Club.