Páginas

segunda-feira, 16 de julho de 2018

MULTINACIONAIS [entraram no SUS pelas mãos do Eduardo Cunha] DE OLHO NA HEMODIÁLISE (E NO REEMBOLSO)

via Outra Saúde (por email)

Faz três anos que se abriu a porteira para os capitais estrangeiros na assistência à saúde e, na coluna Mercado Aberto da Folha, Cristina Frias fala da atuação nas clínicas de hemodiálise - hoje, entre 50 e 70 estão em mãos estrangeiras e deve haver uma nova onda de aquisições. 

Das 750 unidades existentes no país, 70% são privadas, 22% filantrópicas e só 8% públicas, mas é o o SUS quem arca com o tratamento de 86% dos pacientes. 

O presidente da alemã Frenesius, Edson Pereira, reclama do reembolso "muito pequeno" do governo ´ - a empresa começou a atuar no Brasil em 2015 e já tem 30 centros. "Olhamos para empresas em capitais e mercados que possuam um sistema de saúde suplementar bom, ou que tenham prefeituras e estados que complementam os repasses federais", diz.