Páginas

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Trump mente descaradamente: NÃO REVOGOU NADA! Crianças ainda separadas de suas famílias!

"Voo de Houston que estava programado para pousar em LaGuardia não pousou e nos disseram que era "redirecionado" para o Aeroporto de Newark. On-line diz "reencaminhado". Centenas de manifestantes tinham aparecido no LaGuardia. Um vôo final de Houston deveria pousar na LGA em 15 minutos, Terminal C.

As pessoas estão aqui de prontidão. Aprendemos há algumas horas que mais de 300 dessas crianças seqüestradas por Trump já chegaram em Nova York e foram colocadas em lares adotivos, com algumas sendo mantidas em uma instalação contratada pela ICE no Harlem. O prefeito também descobriu isso e está furioso por terem sido enviados a quase 3.000 quilômetros de distância de seus pais.

Não se deixe enganar pela ordem executiva de Trump na quarta-feira. Ele não tem intenção de interromper seu plano mestre. O projeto de lei que ele tentará passar nos próximos dias tem sido chamado de "o pior projeto de lei de imigração em um século". Entre as crianças que ele já arrebatou, a Casa Branca disse hoje que eles não serão reunidos com seus pais. Todos, por favor, NÃO interrompam os protestos. Estamos lutando contra um sociopata e um mentiroso."

Michael Moore no Facebook

Estados e municípios são os que mais contribuem para sustentar SUS


Entre 2002 e 2015, o governo federal foi a esfera de gestão que mais utilizou recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), seguido pela esfera municipal. Apesar disso, foram as prefeituras e os governos estaduais que mais contribuíram para sustentar a estrutura, com uma participação que foi sendo gradualmente ampliada ao longo desse período.

As conclusões são de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Ministério da Saúde, que lançaram, hoje (20), a publicação Contas do SUS na Perspectiva da Contabilidade Internacional, durante o 1º Simpósio de Economia da Saúde. De acordo com o estudo, a União começou garantindo 52% das verbas destinadas à rede pública de saúde, cota que seguiu em curva decrescente até atingir 43% em 2015.

“Brasil não cumprirá Objetivos do Desenvolvimento se mantiver atual marco normativo de políticas sociais”, destaca Deborah Duprat

A procuradora federal dos Direitos do Cidadão participou de diálogo sobre a Agenda 2030 e apontou os impactos da Emenda do Teto de Gastos para o alcance dos ODS


O atual conjunto normativo estabelecido pelo Brasil na execução de suas políticas sociais compromete fundamentalmente o cumprimento dos compromissos internacionalmente assumidos no âmbito da Agenda 2030 para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). O alerta foi feito pela procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, durante o seminário “Diálogos sobre Paz, Justiça e Instituições Eficazes: parcerias para o Desenvolvimento Sustentável”, promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em Brasília.

O encontro buscou discutir os desafios para a garantia da paz, do acesso à justiça e da promoção de governança e transparência, tendo como base o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 16 – que trata de paz, justiça e instituições eficazes.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Há menos abortos, menos reincidência e nenhuma mortalidade materna: 10 anos de IVG (a Lei do Aborto em Portugal


Dez anos depois do referendo que despenalizou a Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG), traçamos um perfil do panorama a nível de saúde pública. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o mundo.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Experiência dos sobreviventes da psiquiatria: como deixar de ser paciente psiquiátrico? - Ex-usuária defende afastamento seguro das drogas psiquiátricas


A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) recebeu a escritora e ex-paciente psiquiátrica Laura Delano para participar da mesa "Experiência dos sobreviventes da psiquiatria: como deixar de ser paciente psiquiátrico?". Laura é uma liderança do movimento dos “Sobreviventes da Psiquiatria” nos EUA e dá suporte técnico aos que querem se livrar do sistema psiquiátrico. O evento foi coordenado pelos pesquisadores Paulo Amarante e Fernando Freitas, do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial (LAPS), com apoio da Abrasme e da Asfoc.

A convidada internacional tornou-se paciente psiquiátrica aos 14 anos, e após conseguir “livrar-se” desse sistema, destaca a importância do afastamento seguro e eficaz dos medicamentos. “Ser ex-paciente psiquiátrico significa ser sobrevivente de um sistema que faz muito mal à pessoa. Ser sobrevivente é conseguir livrar-se disso e se tornar uma nova pessoa”, destacou o coordenador da mesa Fernando Freitas.

O Papa e as fake news

por João Carmelo

CARTA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE AOS(ÀS) CANDIDATOS(AS) ÀS ELEIÇÕES 2018

Consolidação da Democracia, fortalecimento e defesa do SUS
O Conselho Nacional de Saúde (CNS), expressão maior do Controle Social na Saúde da Democracia Participativa no Brasil, componente estrutural do Sistema Único de Saúde (SUS), historicamente comprometido com o direito à saúde como dever do Estado, faz um chamamento geral aos(às) candidatos(as), aos(às) eleitores(as) e à sociedade quanto à defesa e o fortalecimento do SUS para os próximos quatro anos.
A Constituição Federal do Brasil, promulgada em 1988, define Saúde como um direito social por meio do acesso universal e igualitário às ações e serviços, que devem garantir a sua promoção, proteção e recuperaçãoEsse direito se materializa na implementação do SUS.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Parto em casa não leva a aumento do risco de óbito ou internação em UTI neonatal e está associado a redução do risco de cesárea, parto instrumental e complicações maternas

Coletivo de Parteiras no Facebook


E sabe o que temos para iniciar a semana? Temos novidades nas evidências científicas sobre segurança do parto em casa!
Acaba de sair publicada uma nova revisão sistemática com metanálise sobre desfechos maternos e perinatais (do bebê) comparando partos ocorridos em casa, em casa de parto e no hospital, de gestações saudáveis. Quer saber mais? Vem com a gente!
Os pesquisadores buscaram todos os artigos comparando desfechos nesses locais de parto em 5 bases de dados de indexação de artigos científicos, utilizando critérios de inclusão e métodos adequados para revisões sistemáticas. Ao final, 28 artigos atenderam aos critérios de qualidade, oferecendo dados sobre mortalidade perinatal, complicações maternas (morbidade), via de nascimento e admissões em UTI neonatal.
Os pesquisadores aplicaram, ainda, um instrumento para avaliação da qualidade dos estudos desenvolvido e validado especificamente para pesquisas que comparam locais de nascimento - o Birth Place Research Quality (ResQu) Index.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Para pensar... sobre o aborto


Algum presidenciável encampará ideia de privatização do SUS?

Proposta de criação de um novo sistema de saúde acirra briga na saúde



O cenário eleitoral continua bem indefinido, muita água deve rolar nos próximos quatro meses, mas certamente a saúde continuará sendo um tema-chave das campanhas políticas. Em outubro, o país também vai comemorar 30 anos da promulgação da Constituição Federal e da criação do SUS (Sistema Único de Saúde). 


Estou muito curiosa para saber quais propostas devem surgir em relação ao futuro do SUS, especialmente neste cenário de cortes de gastos públicos, e se algum presidenciável irá encampar a ideia da iniciativa privada de criação de um novo sistema de saúde. 

Recepção do hospital público Cândido Fontoura, na zona leste de São Paulo - Rivaldo Gomes/Folhapress

O assunto é um barril de pólvora. Já vem sendo articulado há anos e veio à tona em abril último, quando a Febraplan (Federação Brasileira de Planos de Saúde) realizou um evento em Brasília para propor a substituição do SUS pelo "novo sistema de saúde".

quinta-feira, 7 de junho de 2018

PPPs desequilibram contas públicas

Via Correio da Saúde do MP-PR

A Lei Federal nº 11.079, de 2004, inaugurou as parcerias público-privadas no Brasil, as famosas PPPs. Em síntese, tais parcerias são acordos entre o governo e a iniciativa privada para a realização conjunta de determinados serviços ou obras de interesse da população. No entanto, nem sempre o binômio estado-empresas tem sido harmônico.

Um levantamento realizado pela Folha de S.Paulo (edição de 11/05/2018), apontou que dentre 53 estados e municípios que firmaram parcerias com a administração pública, 42 não possuem projeção do gasto sobre o orçamento futuro.

domingo, 3 de junho de 2018

As escolhas do desgoverno golpista

Charge do Duke

segunda-feira, 28 de maio de 2018

domingo, 27 de maio de 2018

Mesmo errando no diagnóstico, o Dr. quer dar o remédio


Autor de ‘Medicina financeira: a ética estilhaçada’ analisa declaração do presidente da Unimed Brasil de que “saúde para todos não é mais possível”

Mesmo errando no diagnóstico, o Dr. quer dar o remédio


No dia 11/5, em série intitulada UOL Líderes, este site publicou entrevista com o Dr. Orestes Pullin, cirurgião graduado em Londrina e com MBA em gestão pela São Camilo, atual presidente da Unimed Brasil. Sua questão: o problema do sistema de saúde do país. Então, ao longo da entrevista ele traça seus diagnósticos e propõe o tratamento.

Embora dirija um aglomerado de 346 cooperativas médicas que tem se equiparado em suas práticas às demais operadoras de planos de saúde, logo no começo de sua entrevista, o colega já deixa escapar sua intenção em se apropriar do objeto maior, que é o sistema de saúde brasileiro: “Está chegando o momento de se discutir a saúde de forma bastante séria dentro do país”.

Uma fábula muito doida: O juiz que vai apitar o Fla x Flu e a viagem ao Reino da Fantasia







O juiz, o Fla x Flu e o reino da fantasia


Em um reino não muito distante, chamado Pindorama, Flamengo e Fluminense vão disputar o título de campeão da temporada.

A federação escolhe para a grande final o juiz mais famoso que já passou por aquelas terras. 

O mundo inteiro está de olho na partida. Muitos interesses envolvidos... O jogo de pressões é imenso. Natural que, neste clima de tensão, pipoquem inúmeras suspeitas de lado a lado. A mais grave delas coloca em xeque a imparcialidade do juiz... mesmo porque ele já deu muitas mostras bem concretas que é torcedor do Fluminense(tem até carteirinha de filiação).

Nota: Coloquei aqui Fluminense por pura convenção. Podia ser Flamengo, Vasco, Botafogo... É uma fábula né? Só não coloquei Corinthians porque - dado aos numerosos antecedentes - iria soar como provocação. Hahaha!

Daí, na véspera da partida, o juiz realiza uma viagem para um reino que não é tão próximo (geograficamente falando) mas que é muito presente no dia a dia de Pindorama.

Vai para lá participar de uma festa de luxo, organizada por um dos cartolas do Fluminense e viaja acompanhado por dirigentes e jogadores do time. 

O cartola presenteia o juiz com um diploma e uma medalha pelos "serviços prestados". O juiz, todo sorridente e deslumbrado, tira foto com os jogadores e com o cartola e, na seqüência, até dá uma canja fazendo palestra em um evento COMERCIAL promovido pelo cartola. 

A viagem e as despesas do juiz são financiadas pelos patrocinadores e pelo escritório de advocacia do Fluminense.

A turma do Flamengo fica indignada pede a suspeição do juiz e a sua substituição.

Em resposta, o juiz diz que é tudo uma grande bobagem.